13/11/2020 - Paciente do HAC cria aplicativo que conta dias pós-transplante e oferece informações sobre consultas e fases do tratamento

O Hospital Amaral Carvalho (HAC) recebe o apoio de muita gente, de diferentes formas e por diferentes motivos. Uns querendo ajudar em agradecimento ao tratamento de um parente querido. Outros se sensibilizando com a causa oncológica. Ainda tem os que passam pelo nosso hospital e querem retribuir o carinho e cuidado. É o caso do Jacques dos Santos Oliveira.
Ele tem 34 anos e mora na cidade de Serra, no Espírito Santo. Interrompeu o curso de engenharia da computação e veio para Jaú, em agosto de 2018, quando iniciou um tratamento. Mas, os médicos indicavam que seria necessário um transplante de medula óssea (TMO). Começou, então, uma difícil contagem contra o tempo para encontrar um doador compatível. “Descobrimos que dois irmãos meus eram compatíveis entre si, mas comigo, ninguém era”, diz. Depois de muito tempo de busca, dois doadores foram encontrados no banco de dados com compatibilidade total. O transplante foi realizado em abril do ano passado.
Começava uma nova contagem. “Os 100 primeiros dias costumam ser os mais delicados, o que faz desta data ser bastante aguardada pelos pacientes”, conta o médico hematologista do HAC, Iago Colturato. Nesse período, o transplantado tem mais chances de desenvolver infecções e deve permanecer perto ao hospital para atendimento quando necessário.
Hospedado na casa de apoio Eva L. V Barbanti, Jacques dividia a ansiedade pela data com outros pacientes do TMO. “Ficamos todos trocando informações, ansiosos, esperando os 100 dias de pós-transplante. Mas comecei a perceber que cada um contava de um jeito, alguns se perdiam... imaginei que podia ajudar e automatizar”. 
Com a experiência profissional na área de desenho digital atrelado ao conteúdo aprendido na sala de aula durante a faculdade, o paciente desenvolveu o aplicativo D+Eu. O app conta os dias desde a realização do procedimento e oferece outras funcionalidades para os pacientes. “Muita gente esquece o número do Registro do Paciente, a data de retorno, então inclui essas informações para facilitar”, explica. Além disso, o D+Eu traz informações sobre o Instituto Nacional do Seguro Social (INSS), Tratamento Fora do Domicílio (TFD), notificações sobre a importância da ingestão de água e tem troca de mensagens (chat) entre os usuários.  “Comecei a desenvolver aqui mesmo, ainda internado. Fiz baseado nas minhas experiências.”
O D+Eu foi lançado em novembro de 2019 e está disponível gratuitamente na Playstore. De lá para cá, já são mais de 100 downloads. “É uma satisfação saber que está sendo útil para mais pessoas. É a minha forma de doação, fiz o que estava ao meu alcance”, concluiu. 

Galeria de imagens e vídeosclique na imagem para ampliar

  • Paciente desenvolve aplicativo para facilitar contagem pós-transplante

    Paciente desenvolve aplicativo para facilitar contagem pós-transplante

Autor: Estela Capra