02/09/2020 - Setembro Dourado destaca importância de diagnóstico precoce do câncer infantojuvenil

O Hospital Amaral Carvalho (HAC) apoia neste mês a campanha Setembro Dourado, voltada para conscientização do diagnóstico precoce do câncer infantojuvenil. O Instituto Nacional do Câncer (Inca), estima que esse tipo de câncer corresponde até três por cento dos casos diagnosticados da doença no Brasil. São estimados 12 mil novos casos por ano na faixa etária de zero a 19 anos. De acordo com levantamento do Hospital Amaral Carvalho, são registrados em média 110 novos casos pediátricos por ano no HAC.

Segundo a médica assistente da oncologia pediátrica do HAC, Éda Manzo, diferentemente de outros tipos de câncer comuns em adultos, que podem se desenvolver por conta do estilo de vida, nos tumores infantojuvenis não existe prevenção. “O que vai fazer a diferença e aumentar os índices de cura é o diagnóstico precoce. Para isso, precisamos conscientizar as pessoas que lidam com crianças, como profissionais da saúde, educadores e sociedade em geral sobre os principais sintomas e sinais dos tumores”, ressalta.

Entre os sinais e sintomas mais comuns, estão: sangramento nasal, dor abdominal dor de cabeça, febre, caroço no pescoço, dor na perna e palidez, entre outros. No entanto, esses sintomas são alerta para outras doenças que acometem crianças e adolescentes. “É necessário verificar se esses sinais são persistentes e, caso haja suspeita da neoplasia, essa criança deve ser encaminhada o quanto antes para o serviço de oncologia pediátrica. Só faz diagnóstico de câncer quem pensa em câncer”, explica a médica coordenadora da oncopediatria da unidade, Larissa Polis Moreira. “Essa conduta precoce vai poder modificar toda resposta e todo curso do tratamento da criança. Temos tumores que quando chegam em fases iniciais têm noventa por cento de chance de cura e em fases avançadas têm menos de trinta por cento”, completa.

Os tratamentos variam de acordo com cada situação e são baseados em quimioterapia, radioterapia e/ou cirurgia. “Depende de como o paciente chega no serviço, mas, quanto mais cedo, maiores são as possibilidades de oferecer tratamentos menos invasivos e com altas chances de cura”, comenta a médica assistente da oncologia pediátrica do HAC, Gabriela Leme Arca.

Campanha

Entre as atividades desenvolvidas no Setembro Dourado, o HAC divulgará vídeos com informações sobre o câncer infantojuvenil e promoverá bate-papos ao vivo com médicos especialistas da área para esclarecer as principais dúvidas. Acompanhe o HAC nas redes sociais.

Autor: Estela Capra