25/09/2020 - Campanha orienta sobre doação de órgãos e tecidos e incentiva gesto

Neste domingo (27/set) é comemorado o Dia Nacional de Doação de Órgãos e tecidos para transplante. A data é tema da campanha Setembro Verde, apoiada pelo Hospital Amaral Carvalho (HAC).  A ação tem como objetivo promover informação e esclarecimentos à população sobre um assunto que ainda é pouco discutido, a doação de órgãos.
De acordo com levantamento da Associação Brasileira de Transplantes de Órgãos (ABTO), são mais de 40 mil pessoas na fila de espera para um transplante. A maior espera é para transplante de rim, seguido pelo de córnea. O País realiza ainda procedimentos de coração, fígado, pâncreas, pulmão e medula óssea.
Muitas vezes, o transplante é a única esperança de vida ou oportunidade de recomeço para pessoas que precisam da doação, como a Valdete Vilas Boas, de São João do Ivaí, no Paraná. Ela foi diagnosticada com Leucemia em 2005 e o transplante de medula era a alternativa mais assertiva. Neste ano, a Valdete comemora 15 anos de nova vida.
“Cada ano é uma comemoração. A gente nasce de novo! E se hoje eu estou aqui é graças à solidariedade de outra pessoa que se dispôs a ajudar. Então, eu entendo a importância desse gesto e incentivo os demais. Doar órgãos e medula pode salvar a vida de alguém como eu. Não custa ajudar.”
O Hospital Amaral Carvalho mantém o maior serviço de transplante de medula óssea do Brasil. Só no ano passado, a unidade de TMO do hospital realizou 240 transplantes, totalizando 3.423 desde sua criação, em 1996, e levando a unidade ao posto de maior transplantador de medula da América Latina.


Tem dúvidas sobre a doação de órgãos e tecidos? Veja mais informações.


Quais os tipos de doador?
Doador vivo: É possível doar vivo um dos rins, parte do fígado, parte da medula óssea e parte do pulmão.
Doador falecido: Neste caso, são pacientes com morte encefálica.

Como se tornar um doador?
É necessário avisar a família sobre o desejo de doar os órgãos após a morte. É preciso deixar claro que os familiares devem autorizar o ato. Por isso, informação e diálogo são essenciais.
Já para se tornar um doador ainda vivo, é necessário ter mais de 21 anos e boa saúde. A doação é autorizada para cônjuges ou parentes até quarto grau com compatibilidade sanguínea. É permitido doar para não familiares mediante autorização judicial.
Para doar medula óssea, procure o Hemocentro ou Hemonúcleo mais próximo para cadastro no Registro Nacional de Doadores Voluntários de Medula Óssea (REDOME).

O que pode ser doado?
É possível doar órgãos como rim, fígado, pulmão, pâncreas e coração e tecidos como córnea, ossos e medula óssea. Um doador pode salvar muitas vidas.

Quem recebe os órgãos?
Os órgãos vão para pacientes que necessitam de transplante e estão aguardando em uma fila única, definida pela Central de Transplantes da Secretaria de Saúde de cada estado e controlada pelo Sistema Nacional de Transplantes (SNT).

(com informações do Ministério da Saúde)

Galeria de imagens e vídeosclique na imagem para ampliar

  • Valdete Vilas Boas comemorou 15 anos de transplante de medula óssea no HAC

    Valdete Vilas Boas comemorou 15 anos de transplante de medula óssea no HAC

Autor: Estela Capra