26/11/2020 - HAC destaca a importância dos cuidados com a pele, mesmo na pandemia

   Com a chegada do Dezembro Laranja, de conscientização sobre o câncer de pele, é importante lembrar que os cuidados com a saúde não podem ficar de lado. Mesmo com o atual cenário de incertezas e profundas mudanças, por conta da pandemia, é essencial manter hábitos saudáveis para prevenir a doença e ficar atento aos sinais que podem levar ao diagnóstico precoce. Para ressaltar o assunto, o Hospital Amaral Carvalho (HAC) promove atividades especiais neste mês. 
   O Programa de Prevenção do Melanoma – tipo de câncer de pele mais agressivo, está atendendo a população com horário marcado por telefone e respeitando as orientações de precaução da Covid-19. Apesar da redução no número de atendimentos (queda de 65% de janeiro a outubro, comparado a 2019), sete casos de melanoma foram detectados pela equipe neste ano. “Considerando que suspendemos as triagens por três meses e que muitas pessoas estão deixando de comparecer, talvez por acharem que não tem problema esperar a pandemia passar, o número é alto”, afirma a enfermeira do Programa Carla Turini.
   De acordo com a profissional, caso haja qualquer alteração nas pintas é importante procurar o serviço. “Estamos seguindo todas as medidas preventivas da Covid-19, como espaçar os atendimentos para evitar aglomeração no Instituto de Prevenção. Todos da equipe usam máscaras, disponibilizamos álcool gel 70% para frequente higienização das mãos e, na entrada, é avaliada a temperatura do paciente. Portanto, é seguro vir até aqui”, enfatiza.
   Com o surgimento de uma pinta diferente no rosto, Sueli Conduta Pinto (62) achou mais prudente buscar a avaliação profissional e descartar qualquer suspeita. “Fiquei preocupada, mas mesmo com todas as restrições por conta da pandemia, preferi vir. É menos arriscado que deixar pra lá”, comentou.
   O esposo Sebastião (63) a acompanhou na consulta e também aproveitou para fazer uma avaliação. “Conhecemos o HAC há anos e sabemos da importância desse programa. Hoje em dia, as pessoas não dão muita atenção aos sinais e quando vão procurar ajuda, às vezes é tarde e não há possibilidade de cura”, disse.
   No Instituto de Prevenção, o casal recebeu orientações de prevenção e cuidados com a pele. Carla também reforçou os sinais que podem levar ao diagnóstico do melanoma.
  
Regra do ABCDE

   Para ajudar a identificar uma lesão que pode ser melanoma, existe uma regra conhecida como ABCDE. Cada uma das letras corresponde à inicial de um sinal relacionado à doença:
Assimetria – uma metade da pinta não se parece com a outra;
Bordas irregulares – as bordas são recortadas, pouco definidas;
Cor – sombras de marrom, preto e, às vezes, branco ou vermelho na mesma pinta;
Diâmetro – maior que 6mm (equivalente ao de um lápis);
Evolução – mudança de aspecto.

   A enfermeira afirma que, não é porque estamos em uma fase de pandemia, com alterações importantes na rotina, que podemos abandonar hábitos como o uso diário de protetor solar e roupas que protejam o corpo o máximo possível, como braços, pescoço e nuca, por exemplo. “Também devemos evitar a exposição ao sol entre 10h e 16h”.

Ações especiais
   O Programa de Prevenção do Melanoma funciona durante o ano todo, mas em dezembro, para reforçar as orientações em Jaú, a equipe irá realizar ações especiais. Além de postagens com dicas nas redes sociais, no dia 8, a dermatologista coordenadora do Programa, Ana Gabriela Salvio, e a enfermeira Carla apresentam live sobre o tema. A transmissão será pelo canal do Hospital Amaral Carvalho no Youtube, às 17h15.
   Nos três primeiros sábados de dezembro, profissionais de enfermagem estarão nas portas de clubes da cidade esclarecendo dúvidas dos sócios. Às quartas-feiras, a ação será nas principais portarias do HAC. “O foco das nossas atividades é detectar as lesões precocemente para garantir maiores chances de cura e falar sobre prevenção, um hábito que fazemos questão de incentivar”, completa Carla. 



Sueli e Sebastião vieram ao Programa de Prevenção do Melanoma para receber orientações


A enfermeira Carla reforçou as medidas de prevenção e sinais que podem levar ao diagnóstico do melanoma, tipo de câncer de pele mais agressivo

Autor: Ariane Urbanetto