19/3/2021 - Acordes da Solidariedade: projeto faz parcerias que beneficiam o HAC

   Quando a psicóloga Ana Maria Galeazzi, idealizadora do Grupo Acordes da Solidariedade, de Araraquara, resolveu fazer uma live solidária em prol do Hospital Amaral Carvalho (HAC), em meados do ano passado, nem imaginava na corrente do bem que estava se formando. É que a partir de então, várias parcerias beneficiaram o hospital, inclusive uma doação de naninhas e máscaras para a Pediatria, na semana passada.
   Acordes da Solidariedade também foi o nome da apresentação musical no formato online, tão explorada desde o início da pandemia, que arrecadou recursos e produtos para o Amaral Carvalho, em julho de 2020. “Eu nunca tinha pensado em fazer uma live, mas meu professor de violão, Rogério, me incentivava e sempre comentava que eu deveria fazer. E foi um sucesso”, lembra.
   Depois do Amaral Carvalho, Ana promoveu outras lives para ajudar os hospitais de Araraquara e Matão, mas ela afirma que nada é por acaso. “Através da página Acordes da Solidariedade, criada em julho mesmo, para divulgar a live em prol do HAC, comecei a receber mensagens de pessoas querendo fazer parcerias para ajudar os pacientes com câncer do Amaral”.
   A primeira delas foi a artesã Maria Cristina Simonetti, que enviou mensagem questionando sobre a possibilidade de arrecadar materiais para ela confeccionar touquinhas para as crianças internadas no HAC. A parceria deu certo e, no início deste ano, mais de 40 toucas foram doadas aos pacientes.
   Nesta semana, mais uma doação por intermédio da Ana chegou ao hospital. Dessa vez, naninhas e máscaras de tecidos para os guerreirinhos. O Ezequiel Santos (quatro anos), que estava internado há mais de 20 dias, amou o seu kit, especialmente o leão ‘tão fofinho’, como ele mesmo disse.
   “Esses mimos foram produzidos pela artesã Edina Venâncio, também de Araraquara. Agora, estamos pensando em fazer umas bonecas. Estou muito feliz com tudo o que está acontecendo. Espero que surjam muitas outras parcerias para ajudar o Amaral Carvalho e para inspirar outras pessoas a fazer o bem”, completa. 


O paciente da Pediatria Ezequiel Santos com a sua naninha de leão

Autor: Ariane Urbanetto